5 de jul de 2016

Diagnósticos falsos!!


Difícil e cansativa realidade. Deus me ajude a suportar todas as coisas que ainda vêm..


Um problema neurológico crônico e degenerativo que compromete seriamente os movimentos e não tem cura conhecida - podem ser indícios do chamado falso Parkinson.
De acordo com o neurologista do Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) Márcio Andrade, estimativas indicam que, em todo o mundo, o uso indiscriminado de medicamentos seja responsável por cerca de 5% dos casos de parkinsonismo. "No Brasil, esse índice fica em torno de 10%", alerta. Ele credita esse percentual alto ao abuso de remédios por parte de pacientes e médicos, que muitas vezes desconhecem esse tipo de efeito colateral.

Para piorar, a isso somam-se os diagnósticos equivocados. Estatísticas de um banco de dados da doença em Londres, na Inglaterra, indicam que cerca de 20% dos diagnósticos de parkinson são errados. "No Brasil, essa situação não deve ser muito diferente, já que as sintomatologias do chamado parkinson primário e parkinson secundário são muito parecidas", afirma o médico. O chamado parkinson secundário é aquele que aparece em conseqüência de outro problema, como doenças pré-existentes, contato com substâncias tóxicas, infecções e uso de medicamentos. Nesses casos, o tratamento adequado das causas pode fazer com que o parkinsonismo seja revertido em parte dos pacientes.







Neurociências explica!




Diagnósticos falsos!!


Difícil e cansativa realidade. Deus me ajude a suportar todas as coisas que ainda vêm..


Um problema neurológico crônico e degenerativo que compromete seriamente os movimentos e não tem cura conhecida - podem ser indícios do chamado falso Parkinson.
De acordo com o neurologista do Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) Márcio Andrade, estimativas indicam que, em todo o mundo, o uso indiscriminado de medicamentos seja responsável por cerca de 5% dos casos de parkinsonismo. "No Brasil, esse índice fica em torno de 10%", alerta. Ele credita esse percentual alto ao abuso de remédios por parte de pacientes e médicos, que muitas vezes desconhecem esse tipo de efeito colateral.

Para piorar, a isso somam-se os diagnósticos equivocados. Estatísticas de um banco de dados da doença em Londres, na Inglaterra, indicam que cerca de 20% dos diagnósticos de parkinson são errados. "No Brasil, essa situação não deve ser muito diferente, já que as sintomatologias do chamado parkinson primário e parkinson secundário são muito parecidas", afirma o médico. O chamado parkinson secundário é aquele que aparece em conseqüência de outro problema, como doenças pré-existentes, contato com substâncias tóxicas, infecções e uso de medicamentos. Nesses casos, o tratamento adequado das causas pode fazer com que o parkinsonismo seja revertido em parte dos pacientes.







Neurociências explica!




2 de jul de 2016

Derrotada!!



Minha tristeza se deu quando eu cheguei em casa e vi que tinham pintado a minha bonequinha...Frustraçao!!!

1 de jul de 2016

Meus desenhos

Tenho feito desenhos nas minhas horas livres!!
Vou posta-los...
Meu novo projeto agora é aprender a fazer tricô...veremos se dará certo!!!
Inventando coisas pra distrair os dias maus.

25 de set de 2012

Tudo depende do quanto você se permite e quer ser afetado pelos fatos e pessoas que estão sempre a sua volta. Até porque em dias diferentes uma mesma coisa pode nos afetar de modos diferentes. 

É???!!!